O encerramento do VII Congresso Mundial de Administração e XII Fórum Internacional de Administração (FIA) ocorreu na sexta-feira, 14 de outubro, na sede da Organização Mundial do Trabalho (OIT), em Genebra, na Suíça.

A mesa de encerramento foi composta por Dr. Juan Felipe Hunt, Chefe de Seção de Cooperação para o Desenvolvimento da OIT; Adm. Sebastião Luiz de Mello Presidente do Conselho Federal de Administração do Brasil (CFA); Adm. Cláudia de Salles Stadtlober, Presidente do Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul (CRA-RS); Adm. Wagner Siqueira, Presidente do Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro (CRA-RJ); Oscar Mena Redondo, Presidente da Organização Latinoamericana de Administração (OLA), da Costa Rica, e Rafael Leme, representante da Embaixada Brasileira.

Na sequência, Hunt proferiu a palestra “O Trabalho Decente e o Papel das Empresas”. Ele afirmou que os representantes da OIT estão convictos que o trabalho decente transforma as empresas em organizações com um maior potencial de concorrência. Destacou também que as empresas que seguirem as diretrizes da OIT estarão fomentando o desenvolvimento socioeconômico. “O empresário quer um quadro econômico e social pelo qual possa desenvolver sua atividade”, disse. Nesse contexto, Hunt destacou que sua organização possui programas que promovem o trabalho decente nas empresas, que apresentam salários dignos e proteção social. Ele apresentou casos em que a OIT auxiliou empresas de diversas partes do mundo a transformarem as normas sociais corporativas e promoverem o trabalho decente.

Hunt comentou que várias empresas espanholas buscaram a OIT para a finalização do trabalho infantil através do programa Pró-Ninho. A organização realizou um trabalho com 100 mil crianças com o objetivo de promover a capacitação de jovens para ingressarem em idade hábil no mercado de trabalho.

A partir dos exemplos citados, Hunt demonstrou que as empresas auxiliadas pela OIT adquiriram maior lucratividade e maior ingresso no mercado internacional, que prioriza empresas que estabeleçam seus processos produtivos com base nos direitos fundamentais promulgados pela organização. Portanto, a agência conta com uma diversidade de programas que visam auxiliar empresas e governos a transformações de suas políticas para um trabalho digno baseado em direitos humanos. “A OIT busca uma cultura ética do trabalho”.

Durante sua palestra, o Adm. Sebastião Luiz de Mello destacou que há um compromisso pelo Conselho Federal de Administração (CFA) de elaborar um documento na qual serão partilhadas as experiências e indagações que surgiram no Congresso de forma a pautar a atuação do Administrador brasileiro, a fim de endossar a promoção do trabalho decente promulgado pela OIT. “Tenho certeza que esse intercâmbio de experiências irá orientar nossas futuras ações como gestores. Precisamos ampliar a discussão por um mundo do trabalho mais sustentável, ético e responsável”.

A Adm. Cláudia Stadtlober afirmou que o CRA-RS corrobora com essa questão e que todos os esforços possíveis serão efetuados para que o Administrador apresente um papel decisivo na promoção do trabalho decente, visando sua importante participação nas empresas, especialmente em áreas estratégicas de pessoal. “Eu compreendo que o papel da OIT é fundamental para gerar relações mais igualitárias no ambiente de trabalho”, afirma. Já o Presidente do CRA-RJ, Adm. Wagner Siqueira enalteceu a contribuição de que o cidadão tem no cenário da sociedade brasileira na profissão de Administração. “No Brasil, a empresa é um reduto autoritário que realiza a discriminação social das minorias”, destacou.

O Presidente da Organização Latinoamericana de Administração (OLA), Oscar Mena Redondo comentou que o administrador tem um papel fundamental com agente de transformação social, ambiental e do trabalho, e para tanto deve romper paradigmas. “Devemos participar ativamente das políticas públicas estabelecidas pelos governos”. Redondo destacou que o Congresso é um momento importante para novas reflexões e o estabelecimento de novas posturas por parte da profissão.

Dessa forma, o VII Congresso Mundial de Administração e XII Fórum Internacional de Administração (FIA) obteve como resultado a clarificação da importância do Administrador no contexto social do trabalho. Os Conselhos de Administração estão engajados na promulgação dos direitos fundamentais que pautam o trabalho decente nas organizações, valorizando o papel do Administrador nesse processo.
*Com informações do site Consumidor-RS