A forma como os gestores públicos tratam os hospitais de pequeno porte é um entrave importante para a gestão dessas instituições. A afirmação é do Administrador Sergio Valter Blümke, que administra o Hospital de Caridade de Palmeira das Missões, e foi feita durante visita do Administrador e membro da Câmara da Saúde do CRA-RS, Victor Marcelo de Magalhães, a instituição.
 
“Os pacientes não procuram as unidades básicas. Isso acaba gerando um problema. Assumir todos esses pacientes da rede que chegam até o hospital deixa lacunas para aquilo realmente somos contratados pelo Estado para fazer”, explica Blümke.
 
Inaugurado em 08 de fevereiro de 1945, o Hospital de Caridade é localizado na cidade de Palmeira das Missões, e pertence ao Território da 15° Coordenadoria Regional de Saúde. Principal estabelecimento de saúde da microrregião, a instituição atende pacientes de Dois Irmãos das Missões, Novo Barreiro, Lajeado do Bugre, São Pedro das Missões, Sagrada Família, São José das Missões e Cerro Grande, e se tornou referência direta em diversos serviços, para uma população de 52.575 habitantes, sendo que atende 95% pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e o restante convênios, como IPE e Unimed.
 
Outro ponto apontado pelo Administrador do Hospital de Caridade de Palmeira das Missões é a tabela defasada do SUS. “A tabela de valores do SUS está defasada há anos. O SUS paga por um rádio X apenas R$ 7,00. Isso não sobre o custo”, destacou.
 
O Hospital de Caridade de Palmeira das Missões disponibiliza atendimento de urgência e emergência, ambulatorial especializado, internações clínicas, cirúrgicas, pediátricas, de maternidade e cardiológicas, exames laboratoriais, além de ecografia, tomografia e agencia transfusional. Possui em seu quadro mais de 200 colaboradores e, em 2013, iniciou com o Serviço de Urgência e Emergência 24 horas, que atualmente é referencia para uma população de aproximadamente 90 mil habitantes e possui 109 leitos.
 
Hospitais de pequeno porte
 
O Rio Grande do Sul possui 102 hospitais classificados como de pequeno porte. Desses, 18 são possuem até 30 leitos, 60 têm entre 30 e 50 leitos, e outros 24 hospitais são caracterizados como pronto atendimento de urgências (PADUs). Os dados são da Secretaria Estadual da Saúde.
 
Em outubro, a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, recebeu a presidente do Conselho Regional de Administração do RS, Administradora Claudia Abreu, que, junto com o Coordenador da Câmara de Saúde do CRA-RS, Administrador Alexandre Andara e o Administrador Rodrigo de Oliveira Pires, apresentaram  a proposta de uma ferramenta para o  pré-diagnóstico voltado aos hospitais de pequeno porte.
 
A ideia, formatada a partir da criação da Frente Parlamentar de Apoio aos Hospitais de Pequeno Porte do RS na Assembleia Legislativa, é trabalhar junto a essas entidades questionários sobre sua estrutura e recursos. A finalidade é identificar carências e potenciais nessas instituições com até 50 leitos.
 
A iniciativa do CRA-RS é um trabalho voluntário e teve início em tratativas junto a Frente Parlamentar de Apoio aos Hospitais de Pequeno Porte. O questionário busca levantar informações quanto a sua cobertura assistencial, estrutura física, taxa de ocupação e de permanência, além de dados administrativos de receita e recursos humanos.