As perspectivas da ciência, tecnologia e inovação para uma melhor experiência governamental nortearam o XXII Congresso de Administração do Mercosul (Conamerco), realizado entre os dias 18 e 21 de maio, em Florianópolis. O presidente do CRA-RS, Adm. Valter Luiz de Lemos, acompanhado dos conselheiros do CRA-RS, Adm. Lourdes Maria Ritt, Adm. Marcia Valeria Borba Brasil, Adm. Marco Aurélio Kihs e Adm. Nadir Becker, prestigiou o evento que fez um apanhado do cenário socioeconômico na América-latina.

O Congresso abordou diversas questões como sustentabilidade, riscos globais e gestão pública com mais de 30 palestrantes. Uma parceria entre o Conselho Regional de Administração de Santa Catarina (CRA-SC), Rio Grande do Sul (CRA-RS) e Paraná (CRA-PR) viabilizou a execução da Conferência de forma conjunta ao VII SEAMERCO, com o objetivo de dar sentido à atualização do conhecimento sobre o ambiente econômico, administrativo e de ensino nos países integrantes do Mercosul.

Para a conselheira e recém-eleita vice-presidente institucional do CRA-RS, Adm. Lourdes Maria Ritt, “a participação no Conamerco propiciou um repensar sobre a forma da Administração. Percebemos, através dos encontros, que as novas tecnologias vieram para dar suporte ao trabalho e nos fazer enxergar a gestão de forma globalizada”. Para a Adm. Nadir Becker, "integrar vivências teóricas e práticas com um público do contexto do Mercosul teve um valor incalculável para o mundo da gestão". Nadir destaca, ainda, que "o tema Sustentabilidade e Mediação através de suas metodologias muito atrativas contemplou a expectativa dos participantes.” 

O vice-presidente do CRA-SC, Adm. Ildemar Cassias Pereira, aproveitou o Congresso para refletir sobre o papel da organização intergovernamental. "No meu entendimento, em que pese o fato do Mercosul ter avançado como proposta, nós ainda precisamos de atitudes mais efetivas. Nós ainda temos um embate de ideologias políticas, quando, na verdade, ao se falar de Mercosul, precisamos pensar em abertura de mercado, em integração com o mundo. E nós ainda encontramos dificuldades para efetivar essa integração”, destaca.