No Brasil, apenas 14% das empresas de tecnologia são fundadas por mulheres. No mundo, o percentual não passa de 28%. O dado foi trazido pela Administradora de Empresas e especialista em operações de tecnologia, Mirian Souza, durante o CRA-RS Recebe, que ocorreu nesta segunda-feira (18/11), em Porto Alegre. Ainda de acordo com a Administradora, somente 40% dos conselhos das empresas possuem ao menos uma mulher como membro.
 
O CRA-RS Recebe foi dedicado a debater os desafios e oportunidades no empreendedorismo entre as mulheres, uma vez que o Dia Global do Empreendedorismo Feminino, lançado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em novembro de 2014, é comemorado mundialmente nesta terça-feira (19/11).
 
Em formato descontraído, o bate-papo contou ainda com a Gerente de Relações Institucionais da Bebidas Fruki S.A., Administradora Fabíola Eggers, a Diretora da Miillcom Seleção e Desenvolvimento, Administradora Hospitalar Luciana Barbosa, a Administradora de Empresas e especialista em gestão de pessoas, Lucélia Ourique, além da Administradora de Empresas e especialista em operações de tecnologia, Mirian Souza.
 
Os debates foram coordenados pela Presidente do CRA-RS, Adm. Claudia Abreu, que abriu o evento, destacando que as mulheres precisam preocupar-se com o equilíbrio.
 
“Temos que ter equilíbrio entre corpo, alma e espírito. Nós, mulheres, precisamos nos preocupar com a nossa essência, com os nossos sonhos, com o nosso propósito. Nos conhecermos para nos desenvolvermos, realizar um auto exame. O que você está fazendo para o seu equilíbrio? Quantas vezes acabamos optando pelo caminho equivocado, quando, na verdade, poderíamos, pois temos capacidade, de mudarmos o mundo?”, provocou.
 
O que as mulheres estão fazendo de diferente
 
Com uma abordagem que procurou instigar as participantes, a Administradora de Empresas e especialista em gestão de pessoas, Lucélia Ourique, afirmou que o empoderamento feminino está diretamente relacionado ao autoconhecimento.
 
“O que as mulheres estão fazendo de diferente? As mulheres precisam trabalhar comunicação, confiança e competência. Necessitamos de mais exemplos e fortalezas. Falta para as mulheres referências e modelos”, salientou Lucélia.
 
Na mesma linha, a Diretora da Miillcom Seleção e Desenvolvimento, Administradora Hospitalar Luciana Barbosa, chamou atenção para o fato de apenas 9 milhões de empresas serem lideradas por mulheres, o que corresponde a apenas 21% das compnhias que estão no mercado.
 
Fruki é liderada por uma mulher
 
Com 900 colaboradores e receita bruta que deve chegar a R$ 400 milhões em 2019, a Bebidas Fruki, uma das mais tradicionais indústrias de bebidas da Região Sul do Brasil, é liderada, desde abril desse ano, por uma mulher.
 
E a experiência na empresa e no processo de sucessão foi o tema abordado pela Gerente de Relações Institucionais da Bebidas Fruki, Administradora Fabíola Eggers, durante o CRA-RS Recebe.
 
Desde abril desse ano, o empresário Nelson Eggers, neto do fundador, passou a ser presidente do Conselho Consultivo, enquanto Aline Eggers Bagatini, irmã de Fabíola Eggers, passou a ocupar a Presidência Executiva.
 
A Fruki tem matriz em Lajeado, onde estão suas sete linhas de produção totalmente automatizadas, com capacidade para até 420 milhões de litros de bebidas ao ano.
 
Sua linha de produtos é composta por refrigerantes Fruki, suplementos Frukito, os sucos Com/Tem, o energético Elev, água mineral Água da Pedra e, mais recentemente, a Cerveja Bellavista, com cinco rótulos.