“É preciso de conhecimento técnico alinhado com a área política. Em Porto Alegre temos 182 Administradores atuando como servidores públicos, mas na maior parte das cidades do estado há uma carência desse profissional que tem as ferramentas certas de gestão para qualificar a área”. A declaração é da presidente do CRA-RS, Adm. Claudia Abreu na abertura do IV Ciclo de Palestras em Gestão Pública na Câmara Municipal de Porto Alegre na tarde desta quarta-feira (31/10). A presidente destacou a realização da atividade em alusão ao Dia do Servidor Público, comemorado no dia 28 de outubro e revelou alguns dados alarmantes da pesquisa feita pela CGP do CRA-RS em parceria com a FDRH. “Dos 202 municípios do Rio Grande do Sul que responderam a pesquisa, 180 não têm cargo de Administrador na gestão. É a hora de trazermos isso para debate a fim de qualificar a gestão pública dos nossos municípios”,  ressaltou. 
 
O vice-presidente da Câmara de Municipal de Porto Alegre, Valter Nagelstein, lembrou que a Câmara tem duas funções chaves: a de legislar, ou seja, a composição de leis e também a tarefa de fiscalizar. “Neste sentido precisamos ser bastante diligentes e isso vai ao encontro da função que o Administrador pode ter dentro do serviço público”, apontou, destacando que o dinheiro da máquina pública deve ser bem administrado e esclarecendo que esse dinheiro não é do poder público e sim da sociedade, do cidadão. Para ele, os números revelados pela Adm. Claudia mostra que é o momento de discutir a gestão no serviço público. “Quando me refiro à gestão, não é só gestão de recurso, é gestão de pessoas, gestão de processos”, esclareceu. 
 
Já o secretário do Planejamento e Gestão, Adm. José Alfredo Parode exaltou sua atuação numa área extremamente importante para qualquer organização: fazer planejamento e fazer gestão. “A câmara de Gestão Pública do Conselho presta um grande serviço para a sociedade, pois precisamos buscar uma maior interação entre todas as instâncias das nossas instituições, sejam elas públicas ou privadas. Também compôs a mesa de abertura, o coordenador da Câmara de Gestão Pública do CRA-RS, Adm. Flávio Cardozo de Abreu. Além disso, estava presente o presidente do Sindaergs, Adm. João Alberto Araújo Fernandes, compartilhando conhecimento diante da importância de discutir a gestão pública. 
 
“É preciso controle interno”
A primeira palestrante do Ciclo é a Controladora Geral de Canoas, Mari Mantelli, que abordou a importância do controle interno na gestão municipal, destacando que Canoas é a primeira cidade do RS a ter controle interno com status de secretaria independente. “O controle interno é um sistema de fiscalização do Poder Executivo Municipal que exerce, na forma da lei, o controle de atos e procedimentos da Administração direta e indireta, visando resguardar o cumprimento dos princípios da Administração pública a legalidade, legitimidade e economicidade dos atos”, explicou ela. Mari ressaltou que é preciso buscar por esse controle e ensinar ao cidadão que ele também é parceiro nesse processo. “Ele precisa e deve fazer o controle também, pois aí entra a questão das ouvidorias”, disse. Por fim, ela convidou a todos a participarem do I Encontro Estadual de Controladores e Controles Internos, que será realizado dia 23 de novembro, no auditório do prédio 14 da ULBRA. 
 
Mapeamento de competências do TRE-RS 
O segundo case do IV Ciclo de Palestras de Gestão Pública foi apresentado pelo Adm. Ronaldo Costa Quintana analista judiciário na área administrativa do Tribunal Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS), que destacou o mapeamento de competências gerenciais realizado no TRE-RS, que iniciou em 2008 e ainda passa por um processo de melhorias e ajustes. "Ser Administrador foi fundamental para dar andamento no projeto, se não existissem pessoas com formação e conhecimento mais aprofundado, o processo não se desenvolveria", destacou o Administrador.
 
Ele explicou que foi feita a implantação de gestão por competências, levantando a importância de capacitar a equipe e realizar a avaliação por desempenho. “Isso normalmente acontece por duas formas: consultorias prontas, a mais comum, ou desenvolvimento interno”, disse, explicando que no processo do TRE foram divididas 20 competências comportamentais e de habilidade em todo tribunal e oito competências técnicas especificas por setor. O palestrante trouxe alguns pontos fundamentais no projeto como o Sistema GEDES – Gestão de desempenho, que criou um sistema interno adaptado à realidade local; aplicação do instrumento; avaliação com os participantes. “Em 2013 começamos uma revisão para melhorar a tecnologia e começar um trabalho mais aperfeiçoado e detalhado”, apontou. 
 
Por fim, o coordenador da CGP do CRA-RS, Adm. Flávio Cardozo de Abreu trouxe ao conhecimento do público o Índice de Governança Municipal do CFA. "Como Administradores acreditamos que o que não se mede, não se gerencia", lembrou, destacando que um dos objetivos da Câmara é a divulgação desses dados para melhoria da área pública. O Administrador parafraseou Mahatma Gandhi: "Você nunca sabe que resultados virão da sua ação, mas se você não fizer nada, não existirão resultados". "É isso que temos que fazer, agir!", finalizou.