A Feira Industrial de Hannover 2016 foi aberta na noite de domingo e vai até a sexta-feira, apresentando as novidades da indústria e suas tendências. O tema "Indústria Integrada, Descubra Soluções", é explorado por diferentes setores, inclusive, pela Administração. Como uma das maiores feiras industriais do mundo, ela é especializada em automação industrial, técnica de superfície, energia, microtecnologia, pesquisa e tecnologia.
 
No primeiro dia de evento, houve uma ampla discussão sobre a importância da energia solar. Na Alemanha, país que tem como meta gerar energia elétrica 100% limpa, a energia eólica está começando a perder espaço para a solar, uma vez que os cata-ventos interferem na migração dos pássaros.
 
Conforme o vice-presidente de Relações Externas do CRA-RS, Adm. Rogério de Moraes Bohn, a tecnologia para a utilização da energia solar está em evolução. Produzida em grande escala em fazendas, o país europeu já conta com um protótipo de automóvel movido pela força do sol. De acordo com engenheiros presentes no evento, daqui há dez anos será possível ver essa inovação nas ruas.     
 
Em relação à feira, O vice-presidente da diretoria de comunicação e marketing do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Penna Rey, destaca a importância de participar de feiras internacionais para levar informação atualizada aos associados do Sindicato. “A Alemanha é um exemplo de organização. Vamos nos apropriar de vários cases para compartilhar com os demais colegas em Porto Alegre”. Nesse sentido, o diretor da Câmara de Relações Internacionais e Eventos (CRIE) do Conselho Federal de Administração (CFA), Adm. Marcos Clay Lucio da Silva, fala que a Feira de Hannover é uma das maiores na área de tecnologia industrial. “No mundo que estamos vivendo hoje, onde a globalização está tomando conta de tudo, as empresas precisam estar conectadas a essas novas tecnologias, por isso é fundamental estar presente em eventos como a Feira de Hannover para absorver esse conhecimento”, ressalta. Já o presidente do Sindilojas, Paulo Kruse, elogiou a organização da Missão realizada pelo CRA-RS e apontou os pontos positivos do país europeu. “A Alemanha é extremamente organizada, o que falta muito no Brasil. O principal objetivo é analisarmos o que podemos levar para o nosso País”, analisa.