Deve ser concluído em janeiro de 2020 estudo que procura determinar o saldo da dívida ativa do CRA-RS. O objetivo é apurar o quanto desse montante é possível recuperar.
 
Com base nessa análise, que ainda está em curso, a autarquia pretende utilizar os meios cabíveis para cobrança extrajudicial. A auditoria da dívida ativa do CRA-RS teve início em abril de 2019.
 
O levantamento começou a ser realizado a partir de uma portaria da presidente do CRA-RS, Adm. Claudia Abreu, que nomeou comissão para realizar o trabalho.
 
O grupo é formado pela Vice-presidente Financeira do CRA-RS, Adm. Izabel Cristine Lopes, pela Gerente Executiva do CRA-RS, Adm. Márcia Valéria Borba Brasil, Adm. Marcele Pereira da Silva (substituída pelo Coordenador Administrativo Financeiro, Adm. Luiz Colares Funari), Adm. Flávio Cardozo de Abreu, Advogada Daniela Woycickoski Gonçalves,  além do Técnico Contábil Valdemar da Graça Stieh, responsável pela contabilidade do CRA-RS.
 
A dívida ativa origina-se em registrados no CRA-RS que deixaram de pagar o Conselho em determinado momento. A partir do estudo que está sendo realizado, é possível identificar quanto ao todo é devido, provisionar quanto será a perda da autarquia, isto é, créditos de difícil recebimento, e determinar aqueles que ainda podem ser recuperados.
 
Em setembro, o Administrador Flávio Cardozo de Abreu apresentou para a Plenária o resultado parcial do trabalho. No fim de novembro, os colaboradores do CRA-RS assistiram à apresentação do estudo realizado até então pela comissão da dívida ativa, além da apresentação da legislação e jurisprudência aplicáveis (leis decretos-lei, resoluções do CFA, decisões do STF, STJ e TRF-4), a fim de capacitar os colaboradores no conhecimento da matéria e poderem melhor atender aos pleitos dos registrados.