Segundo a diretora do Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial (DAHA), Lisiane Wasem Fagundes, o estado precisa contratualizar de acordo com a necessidade da população e não conforme a oferta do serviço e esse, segundo a gestora, é o principal desafio do ponto de vista da política de saúde pública.
 
“Na saúde, temos uma prática que envolve, que leva em conta, a oferta do serviço e não obrigatoriamente a necessidade das pessoas. Precisamos contratualizar de acordo com a demanda da população. Ainda temos grandes gargalos na baixa e média complexidade. Esse é nosso desafio”, salientou.
 
As contratualizações das instituições de saúde conforme a política do Governo do Estado do RS foi o tema do CRA Recebe da quinta-feira (07/11), no auditório do CRA-RS, com a diretora do DAHA, da Secretaria Estadual da Saúde.
 
No Rio Grande do Sul, mais de 90% dos hospitais são filantrópicos. Ao todo, 212 hospitais e unidades de Pronto Atendimento de Urgência (PADUS) estão sob gestão do Estado. Além disso, 156 laboratórios de análises clínicas estão contratualizados.
 
Participaram do evento o Vice-presidente Administrativo do CRA-RS, Adm. Sérgio José Rauber, que representou a presidente da autarquia, Adm. Claudia Abreu, além do Coordenador da Câmara de Saúde do CRA-RS, Adm. Alexandre Andara, e da Coordenadora da Câmara de Saúde do Fórum dos Conselhos, Adm. Márcia Brasil.