O Diretor-presidente da Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação – Reginp e gerente da Unidade de Inovação e Tecnologia do Tecnosinos, Carlos Eduardo Aranha, será o palestrante nas primeiras cidades a receberem o XVI Ciclo de Debates de Administração (CIDEAD) no mês de maio e conversou com a gente sobre o tema que abordará nas palestras: “O ecossistema global de inovação”. Confira:
 
1. Na sua visão, qual é o principal desafio das empresas em um momento que a estratégia ideal para atingir o público alvo muda o tempo todo? 
Engajar pessoas e criar comunidades de usuários por meio da proposta de valor da empresa. A proposta de valor deve estar conectada a um propósito. Esse propósito pode ser transformador ou não, mas tem que fazer com que as pessoas acreditem no discurso da organização e que ao utilizarem seus produtos e serviços consigam visualizar aquilo que a empresa se propõem.
 
2. Em muitas empresas encontramos pessoas de diferentes gerações trabalhando em um mesmo projeto na busca de um mesmo objetivo. Na sua visão, isso é benéfico para as organizações ou pode gerar algum tipo de conflito?
Isso está diretamente conectado ao que comentei na resposta anterior. Se a empresa construir sua estratégia baseada em um proposito, além de engajar usuários e criar comunidades positivas em torno da sua marca, os times internos terão o mesmo efeito, uma vez que estarão comprometidos em torno de uma causa. Dessa forma, a mescla de diferentes gerações terá um efeito agregador e não de conflito.
 
3. Na revista Master do mês de dezembro abordamos a questão da educação empreendedora. Infelizmente, no Brasil, segundo dados da Endeavor, apenas 9% da população adulta passa por educação empreendedora. Como você enxerga esse cenário?
As várias instâncias da sociedade deveriam estar preocupadas de fato com a educação, ela é a base de tudo. Nesse sentido, despertar os jovens do ensino fundamental, ensino médio e universitário para as questões empreendedoras ajudaria a formar o modelo mental da nova geração, uma vez que a natureza das pessoas difere uma das outras.  Em algumas o espírito empreendedor é inato, apenas precisa ser desenvolvido, em outras, o desejo de empreender surge ao longo da vida, algumas vezes por necessidade e outras por oportunidades que aparecem. Dessa forma, estaríamos “implantando o chip do empreendedorismo” nas nossas crianças e juventude de uma maneira tranquila e perene.  
 
4. Fala-se muito da hélice tríplice (universidade-indústria-governo) como fomento à inovação e empreendedorismo. O Brasil, mesmo que já tenha avançado nesse sentido, ainda está muito atrasado em relação a outros países. De que forma mudar isso?
É muito radical afirmar que o fomento ao empreendedorismo começa por uma desconstrução do modelo tradicional de ensino. Temos que melhorar sim a nossa educação, entendendo que a forma de se educar está passando por um reflexão profunda no que tange as novas tecnologias, as conexões e o acesso à informação, mas os mecanismos de fomento à inovação extrapolam à educação. Hoje existem muitas pessoas empreendendo e inovando, seja de forma individual ou coletiva, e para darmos força a esse movimento é necessário melhorar a nossa organização em termos de clusters ou ecossistemas de inovação. Temos vários ecossistemas ao redor do mundo que são exemplos nesse sentido, como o Vale do Silício, Israel e China, onde cada um com um modelo especifico tem gerado inovações incrementais e disruptivas que estão transformando a nossa forma de se relacionar e viver. 
 
5. O que você tem a dizer para as pessoas que vão lhe assistir nas palestras do CIDEAD?
Que eles terão um panorama dos ecossistemas globais (ambientes locais com alcance global) e saberão de que forma podem, como Administradores, estudantes de Administração e outras áreas do conhecimento, se inserirem nesses ecossistemas de inovação. 
 
 
As primeiras cidades a receberem o Ciclo já estão com datas marcadas. São elas: Santa Rosa (08/05); Ijuí (09/05); Santo Ângelo (10/05); São Luiz Gonzaga (11/05). O CIDEAD RS (Ciclo de Debates de Administração do RS) é um projeto desenvolvido pelo Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul que desde o ano de 2003 leva ao interior do estado conferencistas renomados para tratar de assuntos atuais e de interesse da classe de profissionais da Administração. 
 
As inscrições e informações completas da programação de cada cidade podem ser conferidas no site http://www.crars.org.br/eventos.