Na última terça-feira, 29, o Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul (CRA-RS) promoveu, através da sua Câmara Especial de Saúde, o evento virtual CRA-RS Recebe, que abordou a gestão de faturamento de convênios médicos. A edição reuniu profissionais da Administração, gestores hospitalares e estudantes para apresentar o tema sob a ótica de um Administrador, o convidado Cassiano dos Santos Macedo, que é  desenvolvedor da área de Saúde Suplementar da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado.

Cassiano iniciou o painel traçando um panorama sobre o mercado de saúde suplementar nacional e regional. No Brasil, são mais de 46 milhões de beneficiários de planos de saúde; no RS, já atingimos 2,5 milhões, cerca de 23,38% da população. Além disso, o palestrante explicou os perfis das operadoras em relação aos valores de diárias e à comercialização de medicamentos, dietas e materiais de consumo, através de dados de pesquisa da Federação que são utilizados nas negociações da instituição.

Segundo ele, há diferentes tipos de remuneração, que estão sendo revistos atualmente. “As operadoras acreditam estar pagando muito e os hospitais acreditam estar recebendo pouco. No entanto, o mais importante é o paciente, que constantemente afirma estar sendo mal atendido”, comenta. Dessa forma, é necessário uma experimentação de diferentes abordagens e combinação dos modelos de pagamento. A adoção dos modelos costuma variar de acordo com a realidade de cada região, as características do sistema de saúde, as experiências dos prestadores e das fontes pagadoras na gestão em saúde.

“Não há receita pronta para saber a forma de remuneração que funciona melhor”, acredita Cassiano. De acordo com a sua vivência profissional, o essencial é que o processo gere um ciclo virtuoso de melhorias nas relações entre operadores e prestadores, maior satisfação dos beneficiários e redução de glosas, que são o não pagamento, por parte dos planos, de valores referentes a atendimentos, medicamentos, materiais ou taxas cobradas pelas empresas prestadoras (hospitais, clínicas, laboratórios, entre outros). Após a apresentação, foi aberto um espaço para os participantes esclarecerem suas dúvidas.