Startups, plano de carreira, Internet das Coisas, processos de digitalização, drones, supermercados autônomos, realidade virtual, robótica, cidades inteligentes, automatização. Esses foram alguns dos pontos explorados pelos Administradores na CeBIT 2017, em Hanover, considerada a feira mais importante sobre tecnologia das comunicações no âmbito empresarial. A Feira proporcionou à delegação da Missão Técnica do CRA-RS, a integração a uma grande força cultural e econômica, impulsionada pela tecnologia e inovação. 
 
No grupo de 32 profissionais de diferentes áreas e estados há interesses diversos, pois são empresários, professores ou atuam na gestão pública. Porém, o que é comum a todos os participantes é a consequência da tecnologia nas áreas. Ou seja, o impacto da Internet das Coisas, inteligência artificial e cidades inteligentes é bastante significativo e atingirá qualquer negócio, independentemente do setor.
 
No estande da IBM está exposto um dos projetos mais inovadores da empresa: o Watson, um sistema cognitivo que possibilita uma nova parceria entre pessoas e computadores. Ele entrou para a história de inteligência artificial ao derrotar humanos em um programa de TV americano de perguntas e respostas. Agora, Watson utiliza a inteligência no diagnóstico do câncer e análises financeiras.

Outra tecnologia de grande relevância é um carro elétrico com uma autonomia de 120 quilômetros e anda a 60km/h, que muda o forma de dirigir de acordo com o motorista. O automóvel é controlado por meio de um software e o formato de dirigir muda de acordo com a situação. Por exemplo, se a pessoa entra no carro e diz que é um Uber, a maneira de se deslocar será diferente se for um motorista particular.
 
A tecnologia influencia também a cultura através de quadros de Van Gogh, que aliados à inteligência artifical ganham movimentos. Além disso, arquivos digitais disponibilizam para o públcio, por meio da internet, obras que antes eram consideradas relíquias guardadas a sete chaves. Os participantes destacaram também o surgimento de novos artistas que se apropriaram da inovação para implantar novos padrões culturais. 
 
Área que vem sendo bastante discutida nos últimos tempos, principalmente no Brasil, é a gestão pública. Na CeBIT foi possível enxergar esse campo sob os olhos da tecnologia: o impacto que ela tem na forma de conduzir as cidades - desde o atendimento em algum desastre natural até o planejamento, manutenção, conservação e auxílio na tomada de decisão. Os dados e informações fornecidos pelos cidadãos através de aplicativos são usados para descobrir novas soluções e ideias para problemas tradicionais. Inclusive, na área da sáude, onde Apps relacionados à gestão do sistema apresentaram-se como alternativas para resolver adversidades, como na segurança dos pacientes e profissionais ligados à área. 
 
Ainda, os únicos representantes da América Latina com estande na Feira em 2017 são o governo do México e o governo da Colômbia. O país colombiano está presente com seis empresas da área de logística, software e gestão. A Colômbia foi o último país a receber o Congresso Mundial de Administração, em novembro de 2016, promovido pelo CRA-RS. 
 
A CeBIT aprofundou os conhecimentos da tecnologia em todos os âmbitos, do cidadão à iniciativa privada, exaltando a sustentabilidade e visando ações sutentáveis.